Esportes Sustentáveis x Sustentabilidade Esportiva

Diante da atual situação econômica e ambiental que muitos países vivem, o conceito da sustentabilidade tem chamado a atenção de críticos ambientalistas, ONG´s e sociedade civil. O termo sustentabilidade pode ser entendido, em sua essência, como “um processo de transformação no qual a exploração dos recursos, a direção dos investimentos, a orientação do desenvolvimento tecnológico e a mudança institucional se harmonizam e reforçam o potencial presente e futuro, a fim de atender às necessidades e às aspirações humanas" (Revista Banas Qualidade, Outubro, 2008).

No Brasil, a sustentabilidade tem ganhado espaço para discussão nas mídias sob uma modalidade diferente, o esporte. Diante disso, o conceito aparece sob duas formas diferentes; os chamados esportes sustentáveis e sustentabilidade esportiva.

A sustentabilidade foi definida como um dos pilares para a Copa do Mundo de 2014, que ocorrerá no Brasil. Para tanto, o governo brasileiro, através do Ministério do Esporte e em parceria com o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), deram o pontapé inicial para discutir as iniciativas e projetos voltados para o legado ambiental que o evento trará ao Brasil, de modo a promover uma “Copa Sustentável”.

Copa Verde : Estádios brasileiros deverão obedecer as regras de sustentabilidade

Além disso, outras iniciativas serão criadas em paralelo ao plano das arenas esportivas sustentáveis. Através dos Ministérios da Agricultura, Pecuária e Turismo será lançada uma campanha nacional de mobilização dos setores agrícolas, voltado para a produção orgânica e produtos sustentáveis. A ideia é que os produtores tenham prioridade no fornecimento desses produtos para todo o evento, desde hotéis, bares e restaurantes, até as próprias delegações esportivas.

Outro ponto está na questão da estruturação da coleta seletiva das cidades-sedes, erradicando assim os lixões. O BNDES( Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) disponibilizará uma linha de crédito para esses municípios condicionando a inclusão dos catadores de materiais recicláveis nos negócios de reciclagem, com o objetivo de minimizar a geração de resíduos nos jogos.

Com isso, acredita-se que o sentimento e a paixão pelo futebol motivado pelos eventos esportivos, como a Copa do Mundo, serão ideais para transmitir informações e chamar a atenção dos torcedores para a questão de sustentabilidade.

Já no foco dos esportes sustentáveis, as pessoas estão começando a descobrir as riquezas naturais e migrar de vez para a prática esportiva natural. Exemplos disso é o crescente número de praticantes de Surf, Skate, Kitesurf, Windsurf, Rafting, Snowboard, Corrida de Aventura, Mountain Bike, Caminhada em Trilhas e Mergulho, nos últimos anos. Esses esportes permitem a integração do homem com a natureza e promovem uma reeducação ambiental, fruto do resgate da percepção humana com o meio ambiente.

Nos Estados Unidos, em específico na Califórnia, o tema da sustentabilidade está pautado na confecção das pranchas de madeiras, as chamadas Green Foam Boards, já que a prática do surf é comum neste Estado. Segundo seus criadores, Joey Santley e Steve Cox, o projeto surgiu em 2008 - após um mês de pesquisas a metodologia foi aceita pela empresa Just Foam. A prancha é feita a base de poliuretano reciclado, fruto do reaproveitamento de restos de blocos de espuma antigos, transformados em novos blocos de alta qualidade, frutos de uma moderna tecnologia empregada no processo. Dessa forma, os criadores conseguiram empregar na cadeia produtiva de materiais esportivos métodos sustentáveis, deixando-os orgulhosos por contribuir com o meio ambiente.


Green Foam Boards - Pranchas Sustentáveis


No Brasil, a iniciativa dos esportes sustentáveis também tem girado em torno da produção de pranchas de surf de madeira, chamadas de agave, uma espécie encontrada no litoral nordestino brasileiro, do qual seu ciclo reprodutivo não gera desmatamento para a obtenção de matéria prima. Esse processo contribui para a qualidade ambiental dos ecossistemas brasileiros, que além de gerar oportunidades de empregos para a população que depende dos crescentes mercados de pranchas de madeira como fonte de renda, atende às expectativas dos esportistas da natureza que contribuem para o fortalecimento do conceito de esporte sustentável.


Em Brotas, no interior de São Paulo, o desenvolvimento da prática do esporte sustentável está atrelada à palestras de educação ambiental, confecção de produtos como mapas de garrafa pet, plantio de árvores por crianças, e uso de squeezes plásticos em substituição aos copos de mesmo material. Os esportes praticados variam do remo em rios à caminhadas ecológicas, ou seja, esportes que exigem a sustentabilidade como meio de existência. Para mais informações, contate o adventurecamp e tire suas dúvidas.



Independente da escolha, as duas opções citadas no texto objetivam preservar o ambiente em que vivemos. E então, vamos nos mexer?

Carlos Henrique Fuzatti
Diretoria de Comunicação

1 comentários:

Michel Miler disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
:a: :b: :c: :d: :e: :f: :g: :h: :i: :j: :k: :l: :m: :n:

Postar um comentário