Projeto InterRecicla

Neste ano os Jogos Interunesp chegaram a sua 11ª edição. Este tradicional evento universitário sempre foi marcado pela integração unespiana e o estímulo ao esporte dentro da universidade. O destaque desta edição, entretanto, foi a iniciativa de ação ambiental através do projeto Inter Recicla. O trabalho foi realizado pelos organizadores em parceria com a EJEAmb (Empresa Júnior de Engenharia Ambiental).

Essa parceria demonstra a tendência das competições e eventos universitários na realização de ações ambientais como a iniciativa do SWU (starts with you). A diretora Patricia Tracinkas, da Upper eventos, completa: “Recentemente tem aumentado a preocupação com a sustentabilidade e a procura por eventos que estejam em consonância com as políticas de sustentabilidade e responsabilidade social das empresas”.

No Interunesp o projeto Inter Recicla reuniu 35 pontos de coleta seletiva que foram posicionados nas praças esportivas, alojamentos e tenda. Materiais recicláveis como: latinhas, garrafas, copos descartáveis, plásticos, entre outros foram descartados em coletores fabricados pela EJEAmb. Esses coletores eram facilmente visíveis, pois foram confeccionados com material reciclável e estavam posicionados e identificados em pontos estratégicos.
A gestão dos resíduos ficou por conta da empresa júnior, que retirava o material dos coletores e destinava para uma cooperativa de Marília, gerando renda e contribuindo para a melhoria do meio ambiente da cidade. Desta forma o projeto compreendeu não apenas a parte ambiental, como também a parte social, gerando através do projeto um grande aumento na captação de material reciclável que pode ser revertido em benefícios e melhorias para a cooperativa.

É interessante ressaltarmos o pioneirismo dos jogos nesta questão ambiental. Sabemos também que o evento como um todo não é sustentável e têm muito a crescer neste sentido. Mas temos que valorizar também boas práticas e iniciativas que deram certo, como o projeto Inter Recicla. Esperamos também que estas ações não virem um modismo, e sim que os participantes e as pessoas que tiveram contato com projetos semelhantes entendam sua função social e ambiental.

A principal ação de um projeto como este é demonstrar aos participantes que eles podem contribuir com o meio ambiente nos eventos que participam e em outras ações, como a atitude simples no descarte do óleo de cozinha e a redução do consumo de água.


video


O principal desafio de projetos como este está na mobilização do público que participa destas ações. Fazendo com que aquela iniciativa não se perca e vire mais uma atitude pontual sem produtividade. Estes eventos devem sim fornecer as estruturas para que os participantes possam contribuir com esta causa, como por exemplo, os coletores do Inter Recicla, mas os organizadores devem preocupar-se também na mensagem que estão deixando para aquele público e o quanto o projeto impactou e modificou a mentalidade dos participantes.


Ítalo Carvalho
Diretoria de Projetos

Você sabe o que irá acontecer hoje?

A tão aguardada combinação do calendário (11/11/11) com o relógio 11h11 tem intrigado milhares de pessoas pelo mundo todo há tempos. Um evento raro que se repetirá apenas daqui a um século.
As mais variadas mobilizações marcadas para o dia de hoje ganharam força através das redes sociais como Facebook, Twitter e Orkut. Os grupos se reúnem para discutir e programar encontros com diversas propostas.
O dia 11/11/11 é envolto de muito mistério e especulações sobre o que irá acontecer. Alguns engenheiros siderais estabeleceram que hoje marca o início da transição para uma nova Era. Numerólogos e esotéricos acreditam que essa coincidência de números pode indicar a ocorrência de eventos incomuns. Outros acreditam que hoje tem início uma nova harmonia mundial marcada pela abertura de um portal para outra dimensão.
Alguns blogeiros apostam na áurea mística do “11”, associando a data aos ataques de 11 de setembro norteamericano.
Hoje se lembra, ainda, a profecia de São Malaquias, o qual previu que existiriam 112 papas antes do apocalipse bíblico, uma vez que Bento XVI é o 111º a ocupar o cargo.
Em comum, todos propõem encontros para celebrar a data, seja por meio de cerimônias, danças, manifestações, ocupações, flash mobs, oração, meditação, ou até mesmo através do silêncio. Os eventos acontecerão o dia inteiro, mundo afora, e que, devido ao fuso horário, já ocorreram em diversas partes do mundo. Na Austrália, por exemplo, quando os relógios marcavam 11h11 nasceu um bebê que imediatamente se tornou o centro das atenções da imprensa local e estrangeira. Ademais, os australianos consideram a data muito especial, pois se trata do aniversário do armistício da I Guerra Mundial (1914-1918) firmado às 11h do dia 11/11/1918, e homenageiam a memória dos soldados mortos no conflito. Eles lembram, portanto, que as novas gerações nascem num mundo moldado pelos sacrifícios desses soldados. Também hoje, em diversos países do mundo que participaram do conflito, faz-se um minuto de silêncio as 11h.
Essa manifestação silenciosa também é sugerida com outro objetivo: pelas vítimas da fome de todo o planeta.
Circula na internet o chamado “Protesto Global”, liderado por grupos denominados “Democracia Real Já” (Espanha), “Anonymous” (Diversas nações) e o “Ocupação de Wall Street” (EUA). O lema é “Ocupem as ruas, ocupem o mundo às 11:11:11 do dia 11/11/11” que se espalhou pelo globo com a ajuda das redes sociais. Em Londres, acontecerá a chamada Noite das Mil Máscaras Anonymous, em frente à catedral de Saint. Paul – ocupada há semanas por ativistas. Há uma proposta de ocupação online do site You Tube, cuja pretensão é a publicação em massa de vídeos dos protestos associados às manifestações.
No Brasil, grupos têm se organizado para mostrar solidariedade às ocupações que se iniciaram em 15 de outubro em várias capitais, como São Paulo, Belo Horizonte, Salvador, Curitiba e Rio de Janeiro. Em Brasília, movimentos sociais, entidades civis e cidadãos programaram diversas ações com essa inspiração. Em geral o tema dos atos é a paz, como propõe o site http://the111111event.org: “What will you do?”.

Em Bauru, a proposta é um manifesto cultural a partir da ocupação do Parque Vitória Régia seguida de um mix de atividades culturais, como troca de livros, música, grafite, piquenique colaborativo e palestras.
E você, sabe o que irá acontecer hoje? Já se programou? Participe. MOBILIZE-SE. Faltam apenas alguns minutos.



Seguem alguns links de eventos organizados pelo Facebook.
Evento Mundial - 11.11.11 Occupy The Streets. Occupy The World.
https://www.facebook.com/event.php?eid=179186642163285

Evento Nacional - 11.11.11 - Ocupe As Ruas. Ocupe O Mundo.
https://www.facebook.com/event.php?eid=125532647554958

Bauru/SP - 11.11.11 - Ocupe as Ruas. Ocupe o Mundo - Bauru
http://www.facebook.com/event.php?eid=214132585322799

Belo Horizonte/MG - 11.11.11 - Ocupe As Ruas. Ocupe O Mundo. // Belo Horizonte - MG
https://www.facebook.com/event.php?eid=315236811824749

Brasília/DF - 11.11.11 - Ocupe As Ruas. Ocupe O Mundo. // Brasília
http://www.facebook.com/event.php?eid=235765829815777

Curitiba/PR - 11.11.11 - Ocupe As Ruas. Ocupe O Mundo..COM AMOR!! Viva la ReLOVucion!!
http://www.facebook.com/event.php?eid=239638342758204

Florianópolis - Indignados Floripa convocam: 11.11.11 - Ocupe As Ruas. Ocupe O Mundo.
https://www.facebook.com/event.php?eid=289715184383495

Goiânia/GO - Chamada Urgente 11.11.11 - Revolução Global (11/11/2011)
http://www.facebook.com/event.php?eid=142578259177698

Jundiaí - 11.11.11 - Ocupe As Ruas. Ocupe O Mundo - Jundiaí - SP
https://www.facebook.com/event.php?eid=290167121005784

Natal/RN - Assembleia Popular Pela Democracia Real Já Em Natal
http://www.facebook.com/event.php?eid=166121263480204

Nova Friburgo/RJ - Nova Friburgo vai às ruas - Juntos somos fortes!
http://www.facebook.com/event.php?eid=238357832886815

Porto Alegre/RS - 11.11.11 OCUPA POA - Porto Alegre-RS
https://www.facebook.com/event.php?eid=195046663903407

Rio de Janeiro/RJ - 11.11.11 Ocupação Mundial (Cinelândia - Rio de Janeiro)
http://www.facebook.com/event.php?eid=111910212254406

São Carlos/SP - 11.11.11 - Ocupe As Ruas. Ocupe O Mundo - São Carlos
http://www.facebook.com/event.php?eid=134908853279413

São Paulo/SP - 11.11.11 - Ocupe As Ruas. Ocupe O Mundo - São Paulo
http://www.facebook.com/event.php?eid=270147923028712

Vitória/ES - 11.11.11 - Ocupe As Ruas. Ocupe O Mundo - Vitória
http://www.facebook.com/event.php?eid=242782322447022



Clara Luise
Diretoria de Comunicação

Consumo Consciente


No Brasil, desde 2009 o Governo Federal estabeleceu a data 15 de Outubro como o dia comemorativo do Consumo Consciente.
Sabe-se que a humanidade consome 25% mais recursos naturais do que a capacidade de renovação da Terra. Se os padrões de consumo e produção se mantiverem no atual patamar, em menos de 50 anos serão necessários dois planetas Terra para atender nossas necessidades fisiológicas.
Consumo consciente significa ganhar horas diárias, ser econômico, prestar mais atenção no seu dia-a-dia e pensar que cada produto tem uma história antes de chegar à sua mão, e essa história chama-se Cadeia Produtiva. O consumidor consciente tende a cobrar tudo a sua volta.
Seguem algumas dicas de como você pode exercer o consumo consciente e, assim, diminuir os impactos na nossa sociedade.

1- Sem desperdícios de alimento
Sabe-se que cerca de um terço da comida que compramos vai para o lixo. Mas, se você comprar apenas o necessário, pode ter certeza que estará economizando muito. Confira sempre a data de validade dos alimentos, sempre que for congelá-los o faça em porções individuais para que quando for usá-los nada seja desperdiçado, use a criatividade para criar receitas com alimentos que você julga não servirem mais ao consumo, como as cascas das frutas e legumes.

2- Reutilize óleo de frituras
Você sabia que 1 litro de óleo doméstico já utilizado é capaz de poluir 1.000.000 litros de água? Por isso reutilize o máximo que puder o óleo, e quando for jogar fora procure postos específicos de coleta que darão o destino adequado a ele.

3- Concerte
Antes de se precipitar e jogar fora o produto, confira se não há conserto. Assim você economiza dinheiro e não acumula entulho.

4- Coleta
Em casa, separe o lixo reciclável do lixo orgânico.

5– No supermercado
Antes de sair de casa para fazer compras, faça uma listinha do que precisa. Assim, você evitará comprar o que não necessita e economiza nas despesas.

6- Menos gasto
Na hora de comprar eletrodomésticos prefira modelos que levam o Selo Procel, concedido pelo o Ministério de Minas e Energia em parceria com o INMETRO. Este selo indica os eletrodomésticos com menor consumo de energia.

7- Carteira limpa
Quando efetuar uma compra com o cartão de crédito, ao invés de solicitar a segunda via disponibilizada pela maquininha, cancele a emissão. Afinal, elas não têm grande utilidade, além de se proliferarem na carteira.

8– Sacolas
Você é compulsivo por sacolas plásticas? Está na hora de mudar esse conceito. Sempre que for ao supermercado troque as sacolas pelas caixas de papelão que são recicláveis, ou então, leve a sua própria sacola ecológica.

9- Consumo colaborativo
Já pensou em pegar emprestado ao invés de comprar?? Nem tudo o que você compra é necessário. Antes de adquirir um produto novo, analise a possibilidade de pegar emprestado de algum amigo ou familiar. Assim, você diminuirá consumo e gastos.

10- Feche a torneira
Uma torneira pingando consome mais água do que você imagina. Sempre confira se elas estão bem fechadas. Acho que seria interessante acrescentar o quanto gasta uma torneira pingando por “x” tempo.

11- De olho na descarga!
Algumas descargas chegam a consumir 15 litros de água de uma só vez. Então vale a pena diminuir o tempo de acionamento quando for dar descarga, ou substitua as descargas de válvulas pelas de caixa, o que pode economizar até 40%.

12 - Acumule menos louça
Você adora pegar um copo novo toda vez que vai beber água, ou então deixar a louça acumular na pia até transbordar? Isso faz com que você gaste muito mais água quando for lavar tudo. A solução? Controlar-se ao usar sempre algo limpo.

13- Ao natural
Evite descongelar alimentos no microondas. Retire o alimento congelado sempre com antecedência. Assim haverá menos gasto de energia pelo uso deste eletrodoméstico.

14- Medidas simples
Evite colocar a geladeira perto do fogão ou em áreas expostas ao sol. O calor faz com que o equipamento consuma mais energia no resfriamento. Também não é uma boa idéia colocar roupa para secar atrás do aparelho. Outra dica é regular o termostato do refrigerador, pois quando o tempo está mais frio, a temperatura interna do aparelho não precisa ser tão baixa quanto no verão.

15- Ligue a tomada na hora certa
Estima-se que cerca de 15% da conta de energia de uma casa vem do consumo de aparelhos em stand-by. Para economizar ligue o aparelho apenas na hora do uso, evitando deixá-lo constantemente ligado direto na tomada.

16- Ar condicionado: amenize o uso
Evite usá-lo por muitas horas seguidas. O uso ininterrupto muitas vezes é apenas um hábito que pode ser mudado sem grandes esforços.

Vinicius Ferreira
Diretoria Administrativa

Economia a favor do meio ambiente

O início da reciclagem no Brasil não possui uma data bem definida. Alguns relatos demonstram que foi por volta da década de 50, com os “garrafeiros”, descendentes de espanhóis que recolhiam garrafas de vidro para serem reutilizadas. Alguns dados mais concretos datam de 1985; nesta época, moradores da cidade de Niterói iniciaram um processo de separação e destinação correta para o lixo, apoiados também pela Universidade Federal Fluminense e uma entidade do governo alemão. Já em 1989 houve uma das principais campanhas de conscientização e reciclagem do lixo. Tendo início em Curitiba, a campanha denominada “Lixo Que Não É Lixo" tinha ações de educação ambiental nas escolas e a confecção de materiais adequados para a coleta seletiva.

Várias outras iniciativas foram nascendo pelo país a partir da década de 90. Elas demonstravam a importância e a necessidade da reciclagem de materiais no Brasil. A maioria dos projetos foi iniciado pelo caráter financeiro - a geração de renda e o aumento do lucro deste tipo de serviço. Em um segundo momento, algumas associações e entidades sem fins lucrativos perceberam a importância social, política e ambiental desta ação, aumentando assim a quantidade de projetos e iniciativas sociais no setor. Apesar do constante crescimento deste cenário, acompanhamos de fato um processo lento de reformulação e profissionalização da reciclagem no país. Este fato é evidenciado pela falta de estrutura da grande maioria das cidades brasileiras, que ainda lidam com o lixo de uma forma rudimentar e pouco produtiva. Esta situação ainda está sendo tratada apenas como um fator de geração de renda para comunidades carentes, dificultando a profissionalização deste setor.

Infelizmente neste cenário, sem grandes incentivos privados, a situação mudaria pouco. Nestes últimos anos, verificamos com otimismo, o início da mudança deste panorama. Fatores que foram impulsionados principalmente por questões econômicas, viabilizando assim o desenvolvimento do processo de reciclagem em todo país. O valor do alumínio, por exemplo, está cada vez mais caro, e o Brasil esta importando e produzindo menos deste metal. E qual a alternativa? A reciclagem, é claro! Com a profissionalização e o aprimoramento das técnicas de reutilização de materiais, a reciclagem se tornou barata e muito mais viável do que a importação e a extração mineral.

Desta forma, por questões financeiras, ganharemos nestes próximos anos um incremento na indústria de materiais recicláveis. É a economia agindo ao nosso favor. Com o crescimento deste setor, poderemos estimular e profissionalizar certas cooperativas e catadores, pois com a valorização da reciclagem, a tendência é que os produtos também sejam mais valorizados. Todo este otimismo do setor contribuirá também para o aumento da renda de cooperados e catadores. É claro que isto não vai resolver o problema destas famílias, que passam por situações de extrema pobreza. Porém, é um estimulo para que programas de ONGs e associações sem fins lucrativos consigam desenvolver com mais facilidade projetos de inserção social, profissionalização e educação ambiental para estes trabalhadores.

A boa notícia também é que a reciclagem está sendo encarada não como concorrente das empresas que produzem certo tipo de material. Com o mercado brasileiro aquecido, existe espaço para todos, e as empresas têm a consciência que o material reciclável possui prazo de validade e não poder ser reaproveitado por muito tempo, como relata o professor Tácio Mauro Campos: “Existe um tempo para usar os materiais reciclados, não é perpétuo. No caso do papel, a fibra perde a qualidade e vira lixo mesmo. Nunca ouvi casos de boicote para fazer reciclagem, pelo contrário, as empresas também ganham com essa atitude”.

Dessa forma, com o aumento do apoio de empresas privadas devido ao crescimento da economia, e também pela valorização do setor através de entidades públicas, constatamos de forma sólida o crescimento da profissionalização da reciclagem no país. Estes fatores contribuem também para a superação do relativo período que passamos de “moda verde” para um período de consolidação do setor de reciclagem. Este cenário também promove a reafirmação destes trabalhadores como profissão estratégica na economia e no crescimento do país, transpondo a idéia ultrapassada de que o setor serve apenas para que moradores de rua ou desempregados tenham alguma renda.

Ítalo de Pádua
Diretoria de Projetos